segunda-feira, 14 de maio de 2012

Inauguração do Núcleo de Humanização no Setor Judiciário



O Ateliê Multicultural Elioenai Gomes participa da inauguração do Núcleo de Humanização no Setor Judiciário, promovido pelo Núcleo de Conciliação (Nucon) do Tribunal do Trabalho da Paraíba. Reciclos - Um Caminho de Transformação e a mostra Poesia Andante ficam até sexta feira (21/05) no hall  do TRT 13ª região, localizado no  Shopping Tambiá (E2).

Reciclos - Um caminho de Transformação

No início dos anos 90, o artista visual Elioenai Gomes iniciou um projeto de pesquisa integrando materiais recicláveis ao processo de criação de obras de arte com vistas à conscientização do público quanto à preservação ambiental. O Projeto “Reciclos – Um Caminho de Transformação” é o resultado desse processo e busca sensibilizar para a transformação de valores, pensamentos, mudanças de atitudes e humanização nas relações sociais. 

NUCON

(abaixo parte da matéria do trt13.jus.br)

O NUCON começou a funcionar na semana passada buscando resolução para problemas que vêm se arrastando há anos na Justiça do Trabalho. Foram realizadas três audiências, duas envolvendo os clubes de futebol da Paraíba, Botafogo e Campinense, e a outra o Instituto Campinense de Neuropsiquiatria e Reabilitação Funcional Doutor João Ribeiro com 137 ex-funcionários.

A coordenadora do Nucon, juíza Nayara Queiroz, conduziu as três audiências já adotando a filosofia do núcleo, a conciliação humanista, onde se destaca a valorização do potencial de cada pessoa, tendo como meta colocar o juiz cada vez mais próximo do jurisdicionado.

Conciliação humanista


Nas três primeiras audiências realizadas pelo Núcleo de Conciliação do TRT, o que mais chamou a atenção foi a aceitação dos advogados e pessoas que são parte nos processos pela nova proposta de conciliação, focada humanização.
A advogada Anastácia Gondim Cabral de Vasconcelos destacou que a humanização tira o foco do automatismo do processo, e lembra que dentro dele existem pessoas que sonham e têm perspectivas.
O trabalho de conciliação humanista começou quando a juíza Nayara Queiroz começou a estudar academicamente o tema, que resultou em um trabalho com o título “Conciliação humanista: um caminho para o aperfeiçoamento da relação interpessoal através da tentativa conciliatória”.
O presidente do TRT, desembargador Paulo Maia Filho, apoiou a iniciativa da juíza e foi aprovada pelo Tribunal Pleno a criação do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, seguindo orientação da Resolução 125/2010, publicada pelo Conselho Nacional de Justiça, na adoção da conciliação humanista.
A juíza Nayara Queiroz Mota de Sousa, é titular da Vara do Trabalho de Catolé do Rocha, na Paraíba, mestre em Direito e especialista em Direito do Processual Civil e em Direito do Trabalho.

mais informações

Nenhum comentário:

Postar um comentário