sexta-feira, 27 de abril de 2012

Aniversário de um ano do Casa de Bamba convida Karynna Spinelli


O Ateliê Multicultural Elioenai Gomes celebra no sábado (12/05), o aniversário de um ano do projeto Casa de Bamba. O samba que tem São Jorge como patrono é realizado quinzenalmente nas tarde de sábado no Centro Histórico de João Pessoa e integra moradores, músicos e amantes do samba de raiz.

Ao longo de um ano, o Casa de Bamba trouxe mais de trinta atrações, entre bandas e artistas solo representantes do samba paraibano, além de proporcionar o intercambio cultural entre Paraíba e Pernambuco, estreitando os laços e integrando os artistas de ambos os estados.

Nesta edição de aniversário, realizada na véspera do dia das mães, o Casa de Bamba tem a honra de convidar a sambista pernambucana Karynna Spinelli, que está em turnê nacional de apresentação do seu primeiro trabalho solo, intitulado Morro de Samba. Os ingressos podem ser adquiridos na portaria do Ateliê Multicultural. Mais informações pelos telefones 8730-9629 e 88030786.

                                                 


O Cd Morro de Samba é banhado por arranjos percussivos que contracenam com a presença marcante de violas e violões somados aos Ilús, Djembês, Agogôs e Congas, fazendo de sua audição um passeio a nossa cultura afro, misturando rítmos encantados em composições próprias, de sambistas do eixo Rio-Recife-SP (Noel Rosa, Rafa Barreto,Jorge Simas, Selma do Samba, Paulo Perdigão e Rui Ribeiro) e dos artistas  pernambucanos Zeh Rocha, Yuri Queiroga e Rivaldo Pessoa .

Sobre a cantora


Karynna Spinelli, cantora, compositora, mãe, filha, mulher e pernambucana é fruto da noite, da boemia, cresceu e viveu no meio de grandes violonistas como Canhoto da Paraíba, Henrique Annes e Nuca,  sentindo e vivendo  ainda menina a certeza do canto e do encanto que a boa música trazia.  Começou sua carreira em 2004, após seu contato com a música de terreiro e de rodas no Morro da Conceição, com o Grupo Afro Raízes de Quilombo, vem se dedicando com afinco ao samba de raiz e a todos os rítmos que permeiam esses ares . Integrou o grupo de samba Na Calçada cantando, compondo e tocando percussão. Nos últimos quatro anos, buscando as tendências do samba Afro e a valorização dos batuques do candomblé, fez temporadas por diversas casas norturnas do Recife e passou a tocar fixo na Toca da Joana, em Casa Amarela durante 3 anos pra casa cheia e um público fiel que acompanha a cantora por onde ela passa.


Fundadora e Presidenta do Clube do Samba de Recife consegue reunir mensalmente sambistas e artistas da cidade unidos pela música e pela comunidade do Morro da Conceição.





Nenhum comentário:

Postar um comentário